quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A redescoberta de Carlos Paredes


Em 2004, Ben Chasny (Six Organs of Admittance) teve a sorte de, entre concertos, descobrir a obra de Carlos Paredes: "Acho que devia ser conhecido no mundo inteiro. Toda a gente que fala de Fahey devia começar a falar de Paredes também".

A descoberta foi tão marcante que Chasny dedicou a Paredes a faixa "Lisboa" e o disco "School of the Flower" (2005).

"Adorava mudar-me para aí e já pensei nisso muitas vezes. As palavras não chegam para dizer o que eu gosto em Lisboa. É uma questão de humor e sabor. São os amigos que fiz aí. É a luz. São muitas coisas."


Chasny aproveitou igualmente para avisar os responsáveis da editora com quem trabalha, a Drag City, de que as versões em LP de alguns dos álbuns de Paredes estavam há muito fora de circulação e que a sua recuperação era, mais que uma obrigação, um evidente privilégio. (...)

Fred Somsen, português que faz parte da equipa da Drag City em Londres, diz-nos que "Paredes é ainda relativamente pouco conhecido internacionalmente, talvez o seja por via das comunidades emigrantes, talvez também pela versão que o Kronos Quartet fez de 'Verdes Anos'”. Ainda assim, nada que não seja contornável: “Acreditamos que uma edição destas pode conseguir chegar a outros públicos.


Kronos Quartet

O quarteto de cordas fundado, em 1973, pelo violinista David Harrington em Seattle, Washington, ficou a conhecer Carlos Paredes através de um disco editado na sua companhia, a Elektra Nonesuch, no princípio dos anos 90.

Demorou algum tempo até arranjarem alguém para fazer os arranjos, no caso, Osvaldo Golijov, a única pessoa que conheciam capaz de transpor a música de Paredes para quarteto de cordas e fazê-la parecer-se, de facto, com música de quarteto de cordas.

O álbum "Kronos Caravan" (2000) incluia músicas de 10 compositores de diferentes países, sendo de realçar as versões de dois temas de Carlos Paredes: "Canção Verdes Anos" e "Romance nº 1". O disco alcançou o nº 4 no Top de Álbuns de Música Clássica da Revista Billboard, permanecendo no top durante 15 semanas.

Revista Uncut (2011)


A revista britânica deu 4, num máximo de 5 estrelas, aos dois álbuns de Carlos Paredes, "Guitarra Portuguesa" e "Momento Perpétuo", editados internacionalmente pela Drag City.

A "Uncut" colocara, anteriormente, o álbum "Guitarra Portuguesa", de Carlos Paredes (Drag City), no 7º lugar da sua playlist, que, na altura, era encabeçada pelos Wilco ("The Whole Love").

"Tired of John Fahey clones? Try this reissue from 1971 of next level Portuguese guitar wizardry."


Outras Curiosidades

A música de Carlos Paredes foi utilizada em diversos filmes, nomeadamente, em 1962, na curta metragem “P.X.O.” de Pierre Kast e Jacques Doniol-Valcroze.

Em 1989, pode-se ouvir o tema “Dança” na banda sonora ambiente da digressão de Paul McCartney. O disco fora oferecido a Paul pelo "guedelhudo" Luís Pinheiro de Almeida.

Fontes: Independanças / BodySpace / Guedelhudos / Jornal Público / Nabulabula / Ponto Alternativo

Videos: "Verdes anos" (Kronus Quartet) / "Lisboa" (Six Organs of Admittance)

1 comentário:

Fran Mateus disse...

Feliz 2012 e mantenham este blog sempre legal!
Fran Mateus