sábado, 24 de maio de 2008

Cantora portuguesa vence Eurofestival em representação da França (1977)

Marie Myriam, de seu nome Myriam Lopes, nasceu em 8 de Maio de 1957, em Braga, tendo passado uma parte da sua infância no Zaire (antigo Congo Belga).
Radicada em Paris desde 1964, e após uma permanência de quatro anos em Coimbra, gravou o seu primeiro disco, "Ma Colombe", quando tinha 19 anos.

Mas a sua maior oportunidade surgiria quando, um ano mais tarde, a TV francesa a chamou para a representar no Concurso Eurovisão da Canção, que se realizou em Londres (Wembley).

E não é que, entre 18 concorrentes, a votação do júri internacional a levou ao primeiro lugar?! A França, que até então já por quatro vezes ganhara o Eurofestival, juntava, assim, mais um triunfo, desta feita com "L'Oiseau et l’Enfant", de Joe Gracy e Jean Paul Cara.

Gravou igualmente uma versão em português: "A Ave E A Infância".

Fonte : TV Guia (1989) / Wikipedia

Video: "L'Oiseau et l’Enfant", Festival

3 comentários:

Anónimo disse...

http://in-senso.blogspot.com/

Sábado, Maio 24, 2008

ligações a Portugal de uma vencedora do Eurofestival: Lenny Kuhr

Blogger disse...

http://www.dn.pt/gente/interior.aspx?content_id=1895271

Marie Myriam

A única vitória 'portuguesa' na eurovisão (por NUNO GALOPIM, 02 Julho 2011)

(...) a uma descendente de portugueses coube já bem melhor sorte [do que a concorrentes portugueses]. Foi em 1977, em representação da França, e com a canção L'Oiseau Et L'Enfant.

Londres, 7 de Maio de 1977... As 18 canções concorrentes tinham já sido apresentadas, entre elas Portugal no Coração, pel'Os Amigos.

A votação começara sem contemplar a canção portuguesa, mas dando os dez pontos (que equivalem à segunda melhor pontuação) à canção francesa. Um pouco mais adiante, França tomava por instantes a liderança, logo depois reclamada por Rock Bottom, a canção que representava o Reino Unido.

Mas é a meio do processo, novamente com dez pontos dados por Israel, que L'Oiseau et L'Enfant dispara definitivamente para o comando da votação. Já tinha colhido os 12 pontos da Alemanha, a caminho vinham outros tantos da Suíça e, depois, da Finlânda. No final, somando 136 pontos (contra os 121 do Reino Unido e os 119 da Islândia), França ganhava o Festival da Eurovisão. No seu primeiro triunfo desde 1962... Mas desta vez com um valor acrescentado para todos os portugueses.

Curiosamente, de Portugal a canção francesa recebeu nessa noite uns magros... 5 pontos.

Nascida em 1954, descendente de portugueses, Myriam Lopes Elmosnino passara parte da sua infância na República Popular do Congo, antes de conhecer nova casa em França.

Quando em 1977 vence o Festival da Eurovisão era ainda quase uma estreante nos meandros da música gravada. Tinha-se estreado um ano antes com Ma Colombe, que lhe dera um primeiro êxito no Canadá.

L'Oiseu et L'Enfant leva-a contudo aos ouvidos de todo o espaço europeu (ocidental, entenda-se, correspondendo aos países que então participavam no concurso).

Edita a canção vencedora em disco e chega mesmo a gravar uma versão em língua portuguesa.

Logo depois junta à sua carreira na música ligeira, da qual resulta uma sucessão de novos discos - entre os quais Un Homme Libre (1979), Le Coeur somnambule (1979) ou Los Olvidados (1980) -, uma série de trabalhos para os mais pequenos, cantando na banda sonora de séries de animação.

Entre a família e um restaurante que abre em Paris encontra outras prioridades, afastando-se da música em inícios dos anos 90. Reaparece pontualmente em actuações de beneficência ou quando uma nova antologia entra em cena.

O seu rosto não perde todavia o calor de uma relação familiar com o grande público francês. E com alguma regularidade tem sido, nos últimos anos, um dos mais frequentes rostos do júri francês na hora de revelar as pontuações no Festival da Eurovisão.

A vitória eurovisiva, em 1977, foi o momento maior da sua vida musical para lá das fronteiras francesas. O single atingiu o n.º 5 na Suécia, o n.º 17 na Holanda e o número 42 no Reino Unido.

ié-ié disse...

Boa tarde!

Soube hoje, oficialmente, que este disco de Myriam, na sua versão francesa original, foi o primeiro disco de ouro em Portugal, em 1977.

Cumprimentos,

LPA