domingo, 10 de novembro de 2013

Yvette Giraud grava adaptações de canções popularizadas por Amália


Yvette Giraud nasceu em Paris em 1916, mas apenas tardiamente, em 1946, depois da guerra, iniciou a sua carreira musical, pois era secretária na “Radiodiffusion Française” até que um empresário a pôs em contacto com o compositor Jacques Plantes.

Em 1950 foram realizados diversos espectáculos no âmbito do Plano Marshall; um programa de apoio Americano à Europa do pós-guerra onde participam os mais importantes artistas de cada país.


Quando escolheram os cantores para representarem os vários países só queriam cantores clássicos, mas como em Portugal não havia grandes cantores clássicos, ouviram uns discos de Amália e preferiram escolher a fadista.

Só em Dublin é que havia também cantores ligeiros, entre os quais se destacava Yvette Giraud, que tinha lançado sucessos como “Mademoiselle Hortensia” e “La danseuse est créole”.


A cantora francesa pediu a Amália as música de “Coimbra” e “Lisboa não sejas Francesa”, ambas da autoria de Raul Ferrão, que Amália recuperara para o seu repertório.

Yvette Giraud cantou as duas cantigas com letra de Jacques Larue. “Lisboa não sejas Francesa” foi adaptada para “Raconte Grand-mére”, mas não teve tanto sucesso quanto “Coimbra“, que foi popularizado como “Avril au Portugal” e se tornou, até hoje, o maior sucesso da música portuguesa.

“Raconte Grand-mére” foi, mais tarde, gravado pela cantora francesa Sidonie.


Yvette Giraud gravou igualmente, em ritmo fado-fox, “Trop de Joie”, uma versão de “Canção do Mar”, da autoria do maestro Ferrer Trindade com letra francesa de Jacques Plante , e “Les Lavandiéres du Portugal”, da autoria dos franceses Roger Lucchesi (letra) e André Popp (música).

Amália nunca cantou “Les Lavandiéres du Portugal”, mas prepararam um filme baseado na cantiga no qual estava prevista a sua participação, mas Paquita Rico é que interpretou o papel que inicialmente fora escrito para Amália.


Colaborou igualmente com o grupo Compagnons de la Chanson no tema "Yvette Girollingstone" que faz referência a canções como "Avril au Portugal":

-Dites-nous Yvette Giraud, pour votre disque 
Il faudrait penser à vous rollingstoner 
Oui avec le new tempo, c'est maxi disque 
Il faudrait penser à vous jacquedutroner 
-J'aimerais vous faire plaisir avec ce disque 
Mais voilà, je suis fidèle en amitié 
C'est pourquoi, comprennez-le, même dans ce disque 
Je n'pourrai jamais tromper "Le p'tit cordonnier" 
-Je l'aimais plus que tout en somme 
Nous vivions d'un amour idéal 
Il m'aimait car un homme est un homme 
Nous passions "Avril au Portugal
-Dites-nous Yvette Giraud pour la rengaine 
Il faudrait penser à vous minijuper 

Fontes: Victor Pavão dos Santos / wikpedia / Encyclopedisque /  Compagnons de la chanson 

Sem comentários: