quarta-feira, 15 de março de 2017

50 anos de personagens e actores portugueses em novelas brasileiras (1965-2015) (IV)

"A Padroeira" (Globo, 2001)


A acção de "A Padroeira" de Walcyr Carrasco decorre no Brasil colonial e relata a história da chegada de Dom Pedro de Almeida Portugal, o Conde de Assumar (interpretado pelo actor português Antônio Marques), que assume a capitania com o objectivo de descobrir novas minas de ouro e aumentar o imposto sobre o metal.

Actores brasileiros interpretam os demais personagens de origem portuguesa como Valentim Coimbra, vivido por Luigi Baricelli, filho de um nobre acusado de trair a Coroa. Luís Melo interpreta Molina, português de nascença que morou também na Espanha. Veste um hábito e faz-se passar por padre.


Andréa Avancini faz o papel de Delfina, portuguesa que foi para o Brasil fingindo-se viúva. Na verdade, está fugindo do marido e à procura do primo Manoel Cintra (Otávio Augusto), que pensa ser um rico advogado. Fica furiosa ao descobrir que ele é pobre

Com a entrada de Roberto Talma na direcção da novela, em substituição de Walter Avancini, pai da actriz Andréa Avancini, por motivo de doença, vários personagens saíram da novela, outros entraram e a história original foi para o espaço. Mas Andréa teve sorte. Sua personagem Delfina perdeu o sotaque português, mas ganhou destaque – virou filha de Dorotéia, papel de Susana Vieira, personagem criado já na gestão de Talma para modificar a novela. "Delfina se tornou mais sensual e não perdeu o humor.

"O Clone" (Globo, 2001)


Em "O Clone", a actriz portuguesa Maria João Bastos fez uma participação especial como Amália, uma moderna jornalista que procura no Brasil o seu furo jornalístico: a clonagem desenvolvida pelo cientista Albieri.

"Esperança" (Globo, 2002)


"Esperança" também contou com actores lusitanos. A novela de Walcyr Carrasco e Benedito Ruy Barbosa, exibida pela Globo, narrou a transformação do Brasil depois da Grande Depressão de 1929, a queda do ciclo de café, e a transformação causada pelos imigrantes que chegaram ao país: italianos, judeus, espanhóis e portugueses.

Nuno Lopes deu vida a José Manoel, português que chegou ao Brasil quando criança e que considerava-se brasileiro. Sua família morava no Rio de Janeiro, onde o pai era um comerciante bem-sucedido, mas ele estudou em São Paulo.


O pai de Nuno era Antônio, interpretado pelo actor português Luís de Lima, radicado no Brasil e que faleceu durante a rodagem da novela. Já sua mãe, Antônia, era vivida pela actriz brasileira Beatriz Segall.

"Sabor da Paixão" (Globo, 2002)


"Sabor da Paixão" foi filmada em Portugal, nas cidades do Porto, Vila Nova de Gaia e Lisboa. A trama da novela era actual e contava a história de Diana (Letícia Spiller) que lutava para recuperar as terras herdadas pela família em Portugal. Seu pai, o português Miguel Maria Coelho, foi interpretado por Lima Duarte. Bonacheirão e muito bondoso, teve um enfarte e morreu no início da história.

Mais uma vez Luigi Baricelli fez papel de um português, Alexandre Paixão, que, apesar de ter nascido em Portugal, se considerava brasileiro. Seu amigo, companheiro de festas e sócio de uma enoteca, Pedro Arouca, foi interpretado pelo actor português Duarte Guimarães.


Maria João Bastos fez sua segunda novela brasileira como Rita Coimbra, portuguesa que encontra Diana em Portugal e torna-se sua melhor amiga. Com o abandono do marido, mudou-se para o Brasil. Alegre cozinheira, faz uma grande mudança no bar Flor do Douro e na família de Diana.

A portuguesa Elisa Lisboa interpretou Fátima, governanta portuguesa da quinta da mãe de Alexandre nas cenas rodadas em Portugal.

"Celebridade" (Globo, 2003)

A novela "Celebridade" teve a participação especial de Tony Correia como um convidado da discoteca Espaço Fama.

"Escrava Isaura" (Record, 2004)


Em 2004, a Record fez um remake de "Escrava Isaura", que incluía no elenco a actriz portuguesa Paula Lobo Antunes, que interpretava o papel de Aurora Amaral, filha de mãe brasileira e pai português que nasceu em Lisboa. Ao chegar no Brasil apaixona-se pelo primo Henrique.

"Como uma onda" (Globo, 2004)


"Como uma onda", de Walter Negrão, foi a primeira novela da Globo protagonizada por um actor português, o jovem Ricardo Pereira cujo personagem, Daniel Cascaes, era uma espécie de "Antônio Maria" moderno, muito por influência do argumentista Walter Negrão e do então actor Dennis Carvalho (director da novela) que tinham colaborado  na novela da Tupi de 1968.

Filmada em Guimarães, Braga e Porto, a trama conta a história de um triângulo amoroso entre Daniel, vivido pelo actor português Ricardo Pereira, e as irmãs Nina e Lenita que conhecem o açoriano em uma viagem a Portugal. Namora Almerinda, moça romântica interpretada pela actriz portuguesa Joana Solnado, contra a vontade do seu pai, Almirante Figueiroa, o actor português Antônio Reis, um homem austero e patriota.

"Senhora do Destino" (Globo, 2004)


Nuno Melo interpreta Constantino, um taxista que se apresentava como sendo "O último português a imigrar para o Brasil". Chegou ao Rio em busca de uma herança que um tio lhe havia deixado, mas, ingénuo, sem conhecer os tortuosos caminhos da justiça, acabou sendo "passado para trás".

Envergonhado por ter sido vítima dessa situação humilhante, não teve coragem de comunicar aos parentes em Portugal que tudo dera errado no Brasil, e que havia ficado mais pobre. Resolveu permanecer no país, trabalhar muito e só voltar para Portugal depois que “se desse bem”. Virou motorista de táxi. Apaixona-se por Rita de Cássia (Adriana Lessa), com quem se envolve.

"Prova de Amor" (Record, 2005)

No ano seguinte, Ricardo Pereira volta às telas, mas dessa vez pela Record, em "Prova de Amor", da autoria de Tiago Santiago. O actor português viveu os irmãos gêmeos Marco Aurélio e Marco Antônio. Marco Aurélio era um médico psiquiatra que se apaixona por uma colega de trabalho. O marido dela flagra os dois se beijando e acaba por planear o assassinato do médico. Marco Antônio, escritor, deixou Lisboa para vingar a morte do irmão. Em ambos papéis, os personagens falavam com sotaque brasileiro, mas deixando transparecer a origem lusitana.

"Pé na Jaca" (Globo, 2006)

Em 2006, Ricardo Pereira voltou a Globo onde fez uma participação especial em Pé na Jaca, com o personagem Thierry, francês que morou alguns anos em Portugal e que, em Paris, se apaixona pela modelo Maria (Fernanda Lima).

"Belíssima" (Globo, 2006)

Os últimos episódios de "Belíssima" vão revelar uma surpresa. Quem era o marido português que Safira (Cláudia Raia) teve. A filha Maria João (Bianca Comparato) ficará a saber que o seu pai se chama Nuno, e que foi interpretado por Tony Correia, que tal como a personagem é um actor nascido em Canas de Senhorim e que chegou a ser galã da televisão brasileira.

"Paixões Proibidas" (Bandeirantes, 2006)


Ainda em 2006, a Bandeirantes investiu em uma co-produção com a RTP na novela "Paixões Proibidas", baseada na obra de Camilo Castelo Branco, que retratava a sociedade brasileira nos anos anteriores a 1808, quando a família real portuguesa veio para o Brasil.

Três histórias de amor eram contadas por meio de aventuras e desventuras. Nove actores portugueses fizeram parte do elenco principal. Virgílio Castelo fez o papel de Padre Dinis, que tem três identidades e ajuda jovens amantes e injustiçados e luta contra o amor por Antônia Valente; São José Correia interpreta Elisa de Mandeville, que tem um romance com Alberto de Miranda (Felipe Camargo) em Portugal e que a troca por outra mulher quando retorna ao Brasil; Nuno Pardal é Estevão que junto com Pedro Lamares (no papel de Mateus) são estudantes de Coimbra; Natália Luiza, que vive a personagem Maria.


Quatro actores lusitanos estiveram no elenco adicional: Hélio Pestana, José Eduardo, Rita Frazão e Julie Sargeant.

As primeiras cenas se passam em Coimbra e o final da novela também foi gravado em Portugal. As filmagens aconteceram ainda em Lisboa e Montemor-o-velho.

"Vidas Opostas" (Record, 2006)



A Record também aposta na participação lusitana, sendo "Vidas Opostas" a primeira novela da emissora gravada no exterior, sendo as primeiras cenas gravadas no Cabo da Roca, em Portugal, onde o protagonista Miguel escala com a ajuda de um guia interpretado pelo actor português Alexandre da Silva.

A mãe de Miguel é Isís (Lucinha Lins) dona de uma construtora que está em Cascais onde almoça com os empresários representados pelos actores portugueses Ricardo Carriço (Fernando Cunhal), André Gago (Ciprião de Almeida) e Marques D'Arede (Teodoro Azevedo).

"Dance, dance, dance" (Bandeirantes, 2007)


Em 2007, o actor e cantor português Angélico Vieira participou da novela "Dance, dance, dance", na Bandeirantes, como Bruno Medeiros.

"Duas Caras (Globo, 2007)


O actor brasileiro Sérgio Viotti interpretou em "Duas Caras" o papel de Manoel de Andrade Couto, um português de opiniões fortes. Depois da morte da mulher, precisa sair da casa onde mora devido à construção de uma estrada. Acaba por matar-se.

"Três Irmãs" (Globo, 2008)



Hugo Carvana fez uma participação especial em "Três Irmãs", como Dr. Anastácio Andrade, velho advogado português da família de Duda (Daniela Récco).

Imponente e, principalmente, firme e zangado. Muito amigo do falecido pai de Duda, também é assassinado pelos vilões.

"Negócio da China" (Globo, 2008)


As primeiras cenas da novela da Rede Globo foram gravadas em Lisboa. Belarmino (Joaquim Monchique) imigrou com a mulher Carminda (Carla Andrino) para o Rio de Janeiro onde abrem a Panificação Nossa Senhora Desatadora de Nós e, mais tarde, recebe em sua casa a irmã Aurora (Maria Vieira), e o sobrinho João (Ricardo Pereira), que deixaram Portugal para morar no Rio de Janeiro.


Aurora levou em sua bagagem uma "pen-drive" com informações sobre o dinheiro da máfia chinesa, que era o mote principal da novela. As primeiras cenas foram gravadas em Portugal, com participação especial dos actores portugueses Ricardo Carriço (no papel de Fernando Cunhal), André Gago (Ciprião de Almeida) e Marques D'Arede (Teodoro Azevedo).

Trabalhador e esforçado, João começou a trabalhar na padaria do tio e estava determinado a conquistar a brasileira Lívia, que conheceu ainda em Lisboa.

"Revelação" (SBT, 2008)


Em "Revelação", Diogo Morgado faz o papel de António e Joana Solnado é Maria João. A novela contava a história de Victoria (Tainá Muller) e Lucas (Sérgio Abreu), dois jovens que se conheceram enquanto estudavam em Lisboa, local onde a trama tem suas primeiras cenas gravadas.

António era um jovem português bonito e inteligente, antigo namorado da protagonista, antes dela conhecer Lucas. Ele fica inconformado com o fim do romance porque semanas depois ela já começou a namorar o outro rapaz. Já Maria João foi a melhor amiga de Victória em Portugal, está sempre perto e a apoia nos momentos difíceis da trama.

 "Viver a Vida" (Globo, 2009)


A Globo fez o primeiro acordo de merchandising internacional com Lisboa na novela "Viver a Vida". Os personagens passeiam pela cidade com a intenção de incentivar o turismo brasileiro para o país.

O actor português Albano Jerônimo faz uma participação especial como João, o anfitrião do casal Filipe (Rodrigo Hilbert) e Renata (Bárbara Paz) que visitam Portugal.

Fontes principais: “De Antônio Maria a Balacobaco: panorama da presença portuguesa na telenovela brasileira” de Elaine Javorski (Encontro Nacional da História de Mídia) / "A influência das relações comerciais e culturais entre Brasil e Portugal na inserção de personagens portugueses nas telenovelas" de Elaine Javorski e Isabel Ferin Cunha (Universidade de Coimbra)

Outras Fontes: Ualmédia / Mundo das novelas / Astros em revista / Bandeirantes start / Teledramaturgia / wikipedia / Mundo das novelas / Todo dia um texto novo  / Imgrum / Novelas e mundo  / Memória Globo / Movenotícias / Gshow

Sem comentários: